Limites estatísticos de controle para instrumento de monitoramento de barragem

Emerson Lazzarotto, Elias Alberto da Silva

Resumo


As leituras da série temporal yt de um instrumento de monitoramento de uma barragem, mesmo operando em condições normais, podem não estar dentro dos valores determinados no projeto da obra. A variação térmica sazonal é a principal razão desta variabilidade inerente. A literatura de séries temporais sugere a captura desta variabilidade através de um modelo estatı́stico ARIMA adequado ŷt e que o controle estatı́stico se dê sobre a série temporal dos resı́duos, xt = yt − ŷt . A série dos resı́duos é um conjunto de dados, cuja análise pode indicar se os dados reais estão sob controle do ponto de vista estatı́stico. Desta forma, o principal objetivo deste trabalho é garantir que a caracterı́stica que um instrumento de monitoramento avalia está sob controle estatı́stico, além de realizar previsões sobre a sua série temporal de leituras. O ponto de partida é uma amostra da série temporal de um instrumento que monitora uma barragem. Em seguida, uma parte da amostra (fase I) é usada para estimar o melhor modelo ARIMA, que é escolhido com base na sua capacidade preditiva na outra parte da amostra (fase II). Em especial, estabelecem-se limites estatı́sticos de controle para a média amostral e a amplitude da série temporal dos resı́duos xt . Os resultados mostram um procedimento alternativo para estabelecer limites estatı́sticos de controle para tais gráficos de controle, mesmo quando algumas hipóteses teóricas não são aplicáveis ao caso real.


Palavras-chave


Gráficos de Controle, Instrumentos de monitoramento de barragem, Modelos ARIMA, não normalidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5540/03.2018.006.02.0285

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SBMAC - Sociedade de Matemática Aplicada e Computacional
Edifício Medical Center - Rua Maestro João Seppe, nº. 900, 16º. andar - Sala 163 | São Carlos/SP - CEP: 13561-120
 


Normas para publicação | Contato