Análise do volume das precipitações pluviométricas em belo horizonte e sua previsibilidade usando expoente de Hurst

Giselle Couto Falcão, Edgar Lacerda Aguiar

Resumo


A previsibilidade das inundações tem sido um desafio recorrente nas últimas décadas a cidade de Belo Horizonte capital de Minas de Gerais, e diversas outras cidades do Brasil. A cada primavera/verão determinadas regiões do país sofrem com constantes inundações. Este fenômeno ocorre em resposta ao aumento das precipitações intensas. Este trabalho buscou analisar as previsões do volume máximo de precipitações das regiões de Belo Horizonte, as análises dos dados foram realizados utilizando as análises multifractais de séries temporais com sazonalidade, reescalonadas. Interessados em encontrar uma linearidade no coeficiente de Hurst (autocorrelação), durante o período sazonal. Tendo como modelo de apresentação estrutural a simulação dos dados em sistemas complexos de previsibilidade e instabilidade, o qual terá como base, dados históricos mensais dos volumes das precipitações dos meses de janeiro e dezembro coletados pela estação 83587 da região de Belo Horizonte. Através das análises foram identificados dados que corroboram com a hipótese que o volume máximo das precipitações históricas, vem alcançando um aumento linear ao longo desses 49 anos analisados neste trabalho.


Palavras-chave


Análise fractal, Análise tendência, Autocorrelação, Coeficiente Hurst, Precipitações Belo Horizonte.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5540/03.2018.006.02.0253

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SBMAC - Sociedade de Matemática Aplicada e Computacional
Edifício Medical Center - Rua Maestro João Seppe, nº. 900, 16º. andar - Sala 163 | São Carlos/SP - CEP: 13561-120
 


Normas para publicação | Contato