Ensino da Geometria Analítica com Sweet Home 3D

André Luis Andrjew Ferreira, Débora Marília Hauenstein, Guilherme Porto, Luis Fernando Affonso Fernandes da Cunha

Resumo


Neste trabalho defende-se a inclusão da geometria computacional no ambiente escolar para que possa ser utilizada como recurso pedagógico e motivacional no desenvolvimento do estudo de tópicos problemáticos para a aprendizagem da geometria analítica. Em específico, propõe-se o uso do programa computacional Sweet Home 3D como ferramenta didática para a realização de atividades que tratem dos problemas de visualização gráfica e das adversidades encontradas para estabelecer associações entre as representações algébricas e geométricas dos elementos abordados pela disciplina, visto que essas são duas das principais dificuldades enfrentadas pelos discentes segundo a literatura.


Palavras-chave


Geometria Analítica; Geometria Computacional; Sweet Home 3D; Tecnologia no Ensino; Ensino de Geometria

Texto completo:

PDF

Referências


R. C. D. Andrade. “Geometria Analıtica Plana: praxeologias matemáticas no ensino médio”. Dissertação de mestrado. UFPA, 2007.

L. M. S. S. Ayres et al. “As Potencialidades do Software Sweet Home 3D para Ensinar Matemática”. Em: Redin-Revista Educacional Interdisciplinar 8 (2019), pp. 1–6. issn: 2594-4576.

L. M. Bellini. “Avaliação do conceito de evolução nos livros didáticos”. Em: Estudos em avaliação educacional 17 (2006), pp. 7–28. issn: 1414-5685.

Brasil. Base Nacional Comum Curricular. Educação Infantil e Ensino Fundamental. Online. Acessado em 14/03/2022, http://basenacionalcomum.mec.gov.br. Brasília: MEC/ Secretaria de Educação Básica, 2017.

S. Carvalho, F. L. Dias e V. L. D. Ferreira. “Monitoria como Ferramenta do Processo de Ensino: Mapeamento das Dificuldades de Aprendizagem de Geomtria Analítica”. Em: Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão. 2015, pp. 1–11. isbn: 2317- 3203.

R. E. B. Frare. “O uso de notebooks em sala de aula: abordagem geométrica com o software Sweet Home 3D”. Em: XII ENEM–ANAIS ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA. 2016, pp. 1–11. isbn: 2178-034X.

F. F. Halberstadt e L. A. Fioreze. “O Ensino e Aprendizagem da Geometria Analítica: Uma Abordagem com o Uso do Software GrafEq”. Em: IV Escola de Inverno de Educação Matemática. 2014, pp. 1–11. isbn: 2316-7785.

V. D. Liseikin. Grid generation methods. Vol. 1. Springer, 1999. isbn: 978-90-481-2912-6.

C. Murari. “Espelhos, caleidoscópios, simetrias, jogos e softwares educacionais no ensino e aprendizagem de Geometria”. Em: Educação matemática: pesquisa em movimento (2004), pp. 198–212. issn: 8524919396.

S. Papert. A máquina das crianças: repensando a escola na era da informática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994. isbn: 9788536310589.

D. F. Treagust e L. J. Rennie. “Implementing Technology in the School Curriculum: A Case Study Involving Six Secondary Schools”. Em: Journal of Technology Education 5.1 (1993), pp. 38–53. issn: 1045-1064.

J. A. Valente. “A espiral da aprendizagem e as tecnologias da informação e comunicação: repensando conceitos”. Em: A tecnologia no ensino: implicações para a aprendizagem (2002), pp. 15–37. issn: 8573961880.




DOI: https://doi.org/10.5540/03.2022.009.01.0251

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SBMAC - Sociedade de Matemática Aplicada e Computacional
Edifício Medical Center - Rua Maestro João Seppe, nº. 900, 16º. andar - Sala 163 | São Carlos/SP - CEP: 13561-120
 


Normas para publicação | Contato