Controle da dengue na estação seca da cidade de Curvelo-MG através de um modelo preditivo

Lillia S. Barsante, Flávia S. Cordeiro, Rodrigo T. N. Cardoso, José L. Acebal, Kelly S. Paixão, Álvaro E. Eiras

Resumo


Apesar do crescente orçamento destinado ao controle do vetor da dengue, segundo a Organização Mundial de Saúde, 50 a 100 milhões de pessoas anualmente contraem a doença. Buscando minimizar os custos dos gestores no controle da dengue, torna-se importante determinar a melhor época do ano para se aplicar ações de controle do vetor. Desta forma, através de um modelo matemático que descreve a dinâmica populacional do vetor da dengue sob a influência de pluviosidade, foi verificado para a cidade de Curvelo (Minas Gerais, Brasil) a vantagem de se realizar ações de controle do vetor da dengue durante a estação seca, em vez do procedimento comum adotado pelos programas de controle de vetores, em que as ações de controle são aplicados principalmente na época das chuvas.

Palavras-chave


Modelo Matemático, Pluviosidade, Controle

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5540/03.2015.003.01.0082

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


SBMAC - Sociedade de Matemática Aplicada e Computacional
Edifício Medical Center - Rua Maestro João Seppe, nº. 900, 16º. andar - Sala 163 | São Carlos/SP - CEP: 13561-120
 


Normas para publicação | Contato